Visitas e Percursos Orientados
Destinatários | Público em Geral

Visitas orientadas  



As visitas orientadas ao MMIPO, à Casa da Prelada e à Igreja do Colégio de Nossa Senhora da Esperança são uma oportunidade de descobrir ou aprofundar o conhecimento sobre a história e o património da Santa Casa da Misericórdia do Porto.  

Adaptadas a cada nível de ensino, as visitas são conduzidas por um técnico especializado que estimula o diálogo e a partilha de vários pontos de vista.


APRESENTAÇÃO DO MMIPO

De acordo com a disponibilidade do staff do Serviço de Públicos, é possível apoiar e orientar visitas sem marcação.

Público-alvo: todos os públicos

N.º de participantes: 30

Data: todo o ano, exceto em agosto.

Horário: das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 16h30.

Duração: 10 a 15 minutos

Local: Galeria dos Benfeitores

Preço: preçário em vigor no MMIPO.


À DESCOBERTA DO MMIPO 

Esta visita procura desvendar um pouco da história da Santa Casa da Misericórdia do Porto e dos seus propósitos institucionais. Algumas obras de arte que integram as coleções do Museu, como é o caso do Fons Vitae, serão alvo de atenção especial.

Além das salas temáticas, a visita contempla dois espaços: a Igreja da Misericórdia, construção do século XVI que recebeu uma grande intervenção no século XVIII protagonizada por Nicolau Nasoni, e a Galeria dos Benfeitores, exemplar da Arquitetura do Ferro e do Vidro da cidade.

Público-alvo: todos os públicos

N.º de participantes: 30

Data: todo ano, exceto em agosto.

Horário: das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 16h30.

Duração: 45 minutos (versão reduzida) ou 90 minutos (versão alargada)

Preço: 3,00 € estudantes; 3,50 € seniores; 5,00 € restante público; 12,50 € bilhete único; 5,00 € estudantes, seniores e outros (Protocolo CP); 7,50 € Escolas (Protocolo Look at Porto).


D. MANUEL I, A MISERICÓRDIA E A CIDADE DO PORTO

A Misericórdia do Porto foi fundada a 14 de março de 1499 por iniciativa de D. Manuel I.

Em carta endereçada ao Senado Municipal, Fidalgos, Cavaleiros e Homens Bons da cidade do Porto, o rei recomendou-lhes que, à semelhança da confraria da Misericórdia de Lisboa fundada um ano antes pela sua irmã D. Leonor, ordenassem uma irmandade para cumprir as Obras de Misericórdia.

A época de D. Manuel I, o papel da Misericórdia do Porto e a cidade do Porto no século XVI são alguns dos pontos abordados nesta visita.

Público-alvo: todos os públicos

N.º de participantes: 30

Data: 1.º período (2017)

N.º de participantes: 30

Horário: das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 16h30.

Duração: 45 minutos

Local: MMIPO

Preço: gratuita para professores (inseridos num grupo, rácio 1/10 alunos) e para crianças (com idade igual ou inferior a 6 anos, quando acompanhadas por familiares); 3,00 € para estudantes; 3,50 € para seniores; 4,00 € para o restante público; 5,00 € para estudantes, seniores e outros (Protocolo CP). Não se aplica o bilhete único.


FONS VITAE, O QUADRO MISTERIOSO DA MISERICÓRDIA DO PORTO

Atribuído a Colijn de Coter, pintor flamengo, o Fons Vitae é, possivelmente, o painel central de um retábulo cujos volantes se perderam. O painel terá sido encomendado na Flandres e pintado entre 1515 e 1517.

A primeira referência fidedigna ao Fons Vitae ocorre no inventário da Misericórdia de 1824. Vinte anos depois, em 1844, o conde A. Raczynscki, historiador e crítico de arte, realça a qualidade da obra que, a partir desse ano, passou a ficar exposta na casa do despacho da Misericórdia do Porto.

Esta obra é, porventura, a única obra existente em que o rei D. Manuel I é retratado com os seus atributos inerentes à sua ideologia política e quadro espiritual.

O contexto histórico e artístico em que esta obra se insere, a iconografia, a encomenda e o percurso da obra constituem alguns dos aspetos abordados nesta visita.

Público-alvo: todos os públicos.

N.º de participantes: 30

Data: 1.º período (2017)

Horário: ano letivo (de 15.09.2017 a 15.07.2018), de segunda-feira a sexta-feira.

Duração: 45 minutos

Local: MMIPO (sala do Fons Vitae)

Preço: gratuita para professores (inseridos num grupo, rácio 1/10 alunos) e para crianças (com idade igual ou inferior a 6 anos, quando acompanhadas por familiares); 3,00 € para estudantes; 3,50 € para seniores; 4,00 € para o restante público; 5,00 € para estudantes, seniores e outros (Protocolo CP). Não se aplica o bilhete único.


PORTO LIBERAL: OS MÁRTIRES DA LIBERDADE E O PROVEDOR D. PEDRO IV

A Misericórdia do Porto deu um exemplo de independência face ao poder político e de sentido de humanismo cristão quando, em 1829, tratou de sepultar os doze liberais que foram sentenciados pelo regime miguelista.

D. Pedro foi eleito provedor da Santa Casa da Misericórdia do Porto a 2 de julho de 1833, dia em que, por tradição, os provedores tomavam posse na instituição e se assinalava o Dia da Visitação de Nossa Senhora a sua prima Santa Isabel.

Os Mártires da Liberdade, o Cerco do Porto e a ação de D. Pedro IV enquanto provedor são alguns dos assuntos abordados nesta visita, que se enquadram na temática geral da implantação do Liberalismo em Portugal.

Público-alvo: todos os públicos

Data: ano letivo (de 15.09.2017 a 15.07.2018), de segunda-feira a sexta-feira.

N.º de participantes: 30

Horário: das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 16h30.

Duração: 45 minutos

Local: MMIPO

Preço: gratuita para professores (inseridos num grupo, rácio 1/10 alunos) e para crianças (com idade igual ou inferior a 6 anos, quando acompanhadas por familiares); 3,00 € para estudantes; 3,50 € para seniores; 4,00 € para o restante público; 5,00 € para estudantes, seniores e outros (Protocolo CP). Não se aplica o bilhete único.

Outras informações: Roteiro Porto Liberal 


NICOLAU NASONI E A QUINTA DA PRELADA

Localizada na freguesia de Ramalde, a Casa da Prelada e o jardim envolvente, onde se encontra um dos maiores labirintos de buxo da Península Ibérica, são parte integrante do maior conjunto paisagístico - a Quinta da Prelada, delineado pelo pintor e arquiteto italiano Nicolau Nasoni.

Até aos inícios do século XX, a Quinta da Prelada pertenceu à família Noronha Menezes. Em 1903, o último proprietário, D. Francisco de Noronha Menezes, doou a propriedade à Misericórdia do Porto. Atualmente, a Casa acolhe, entre outras valências, o Arquivo Histórico da Misericórdia do Porto que será dado a conhecer nesta visita.

Público-alvo: jovens e adultos

N.º de participantes: 30

Data: ano letivo (de 15.09.2017 a 15.07.2018)

Horário: das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 16h30. Apenas às terças-feiras.

Duração: 60 a 90 minutos

Local: Casa da Prelada - Rua dos Castelos, 485, Porto

Preço: gratuita para professores (inseridos num grupo, rácio 1/10 alunos) e para crianças (com idade igual ou inferior a 6 anos, quando acompanhadas por familiares); 3,00 € para estudantes; 3,50 € para seniores; 4,00 € para o restante público.


A IGREJA DO RECOLHIMENTO DE ÓRFÃS DE NOSSA SENHORA DA ESPERANÇA

A construção do Recolhimento de Órfãs iniciou-se em 1724 com o legado do padre Manuel de Passos Castro, tesoureiro da Colegiada de Cedofeita. A Igreja, projetada em 1746, só viria a ser inaugurada em 1763. A obra esteve a cargo do mestre-pedreiro António Pereira. No entanto, certos autores aventam a possibilidade de ter existido a participação de Nicolau Nasoni no projeto.

Além de dar a conhecer a história do edifício e a sua relação com o território envolvente, a visita orientada à Igreja explora o seu património integrado, nomeadamente os altares em talha rocaille e respetiva imaginária, aspetos que elegem este espaço como uma jóia do barroco portuense.

Público-alvo: jovens e adultos

N.º de participantes: 30

Data: ano letivo (de 15.09.2017 a 15.07.2018)

Horário: das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 16h30. Apenas às quintas-feiras.

Duração: 60 minutos

Local: Avenida Rodrigues de Freitas, 349, Porto.

Preço: gratuita para professores (inseridos num grupo, rácio 1/10 alunos) e para crianças (com idade igual ou inferior a 6 anos, quando acompanhadas por familiares); 3,00 € para estudantes; 3,50 € para seniores; 4,00 € para o restante público; 5,00 € para estudantes, seniores e outros (Protocolo CP). Não se aplica o bilhete único.


Percursos orientados 


A RUA DE SANTA CATARINA DAS FLORES 

Inicialmente designada por Rua de Santa Catarina das Flores, a Rua das Flores foi aberta em 1521 por iniciativa do rei D. Manuel I.

Modelo do novo urbanismo da cidade, pelo seu traçado e por ter sido uma via calcetada, a Rua das Flores foi afirmando-se, ao longo dos tempos, como espaço residencial da fidalguia portuense e como polo comercial. Com efeito, a partir de finais do século XVIII, aí concentraram-se as principais ourivesarias da cidade tornando-a na "Rua do Ouro" portuense.

Atualmente, a importância da Rua advém da profunda reabilitação que sofreu e da consequente dinâmica turística e cultural.

A abertura da Rua, o estabelecimento da Misericórdia nesta artéria, a criação do Hospital D. Lopo, as casas e as famílias ilustres da Rua são alguns dos aspetos e das curiosidades abordadas ao longo do percurso.

Público-alvo: todos os públicos

N.º de participantes: 30

Data: ano letivo (de 15.09.2017 a 15.07.2018)

Horário: 11h00 (manhã) e 15h00 (tarde).

Duração: 60 a 90 minutos

Percurso: MMIPO (ponto de encontro) > Largo de S. Domingos > Rua das Flores > Praça de Almeida Garrett.

Local: MMIPO (ponto de encontro); Rua das Flores,15.

Preço: gratuita para professores (inseridos num grupo, rácio 1/10 alunos) e para crianças (com idade igual ou inferior a 6 anos, quando acompanhadas por familiares); 3,00 € para estudantes; 3,50 € para seniores; 5,00 € para o restante público; 5,00 € para estudantes, seniores e outros (Protocolo CP). Não se aplica o bilhete único.


A AÇÃO DA MISERICÓRDIA DENTRO E FORA DA MURALHA FERNANDINA:

OS HOSPITAIS E A CADEIA

Instalada na Rua das Flores desde 1550, a Santa Casa da Misericórdia do Porto desenvolveu a sua assistência, enquadrada nas 14 Obras de Misericórdia, em estabelecimentos que fez erguer no interior da muralha fernandina, como o Hospital de D. Lopo, e no seu exterior, como o Hospital de Santo António. Desde a sua fundação, em 14 de março de 1499, a Misericórdia também prestou assistência nas cadeias da cidade.

É sobre a história e a ação desenvolvida nestes espaços e a sua importância na cidade, que a abordagem realizada ao longo deste percurso incidirá.

Público-alvo: jovens e adultos.

N.º de participantes: 30

Data: ano letivo (de 15.09.2017 a 15.07.2018).

Horário: 11h00 (manhã) e 15h00 (tarde).

Duração: 120 minutos

Percurso: MMIPO (ponto encontro) > Rua das Flores (Hospital de D. Lopo) > Rua dos Caldeireiros > Rua Nicolau Nasoni > Rua da Assunção > Campo Mártires da Pátria > Cadeia da Relação > Hospital de Santo António (fim).

Preço: gratuita para professores (inseridos num grupo, rácio 1/10 alunos) e para crianças (com idade igual ou inferior a 6 anos, quando acompanhadas por familiares); 3,00 € para estudantes; 3,50 € para seniores; 5,00 € para o restante público; 5,00 € para estudantes, seniores e outros (Protocolo CP). Não se aplica o bilhete único.


DO MANEIRISMO À ARTE NOVA:

PERCURSO PELOS MARCOS DA ARQUITETURA DA MISERICÓRDIA DO PORTO

Ao longo dos tempos, a par da sua atividade assistencial, a Misericórdia do Porto promoveu e acolheu a criação artística, designadamente na Galeria dos Benfeitores, e desempenhou um papel relevante na renovação urbana e arquitetónica da cidade.

Este percurso dará a conhecer esse papel e os seus protagonistas, através de uma viagem que se inicia no século XVI, com a construção da Igreja da Misericórdia, passando pelos séculos XVIII e XIX, com a nova fachada barroca, nasoniana, da mesma Igreja, e com o Hospital de Santo António, até ao século XX, com a casa Arte Nova na Rua Galeria de Paris.

Público-alvo: jovens e adultos.

N.º de participantes: 30

Data: ano letivo (de 15.09.2017 a 15.07.2018)

Horário: 11h00 (manhã) e 15h00 (tarde).

Duração: 120 minutos

Percurso: Igreja da Misericórdia e Galeria dos Benfeitores > Rua das Flores > Rua dos Caldeireiros > Rua Nicolau Nasoni > Igreja dos Clérigos > Campo Mártires da Pátria > Jardim da Cordoaria > Hospital de Santo António > Rua Professor Abel Salazar > Rua do Carmo > Praça Gomes Teixeira > Rua das Carmelitas > Rua Galeria de Paris - Casa Arte Nova > Edifício 4 Estações.

Preço: gratuita para professores (inseridos num grupo, rácio 1/10 alunos) e para crianças (com idade igual ou inferior a 6 anos, quando acompanhadas por familiares); 3,00 € para estudantes; 3,50 € para seniores; 5,00 € para o restante público; 5,00 € para estudantes, seniores e outros (Protocolo CP). Não se aplica o bilhete único.


O CEMITÉRIO DA MISERICÓRDIA DO PORTO

Situada no Cemitério do Prado do Repouso, a secção privativa da Misericórdia do Porto estabeleceu-se na década de sessenta do século XIX. Os jazigos dos Mártires da Pátria, de Augusto Roquemont, de José Plácido Campeam, de José Pinto Soares, de José da Silva Passos (irmão de Passos Manuel) são alguns dos monumentos funerários que, pelo seu valor histórico e artístico, se destacam nesta visita.

Público-alvo: jovens e adultos. 

N.º de participantes: 30

Data: 2.º e 3.º períodos. Apenas às quintas-feiras.

Horário: 11h00 (manhã) e 15h00 (tarde).

Duração: 120 minutos

Local: Cemitério do Prado do Repouso - Largo do Pe. Baltazar Guedes, s/n, 4300-059, Bonfim.

Preço: gratuita para professores (inseridos num grupo, rácio 1/10 alunos); 3,00 € para estudantes; 3,50 € para seniores; 4,00 € para o restante público; 5,00 € para estudantes, seniores e outros (Protocolo CP). Não se aplica o bilhete único.