Joaquina de Moura Veloso Guimarães
Benemérita da Santa Casa da Misericórdia do Porto

Natural da freguesia de Santo Ildefonso, da cidade do Porto, Joaquina de Moura Veloso Guimarães ou Joaquina de Moura Soares Veloso era filha de Pedro António Soares Veloso e de D. Joaquina Efigénia de Moura Veloso. Foi proprietária e moradora na rua de Cedofeita. Casou a 05 de fevereiro de 1872 na igreja paroquial de São Martinho de Cedofeita com Manuel Lopes Vieira Guimarães, negociante, natural da freguesia de São Sebastião, do concelho de Guimarães, e morador no largo de São Domingos, na cidade do Porto. Deste matrimónio houve uma filha.

No seu testamento, o qual foi aprovado a 21 de novembro de 1913, a benfeitora deixou vários legados a asilos da cidade do Porto, a saber: o Asilo Portuense de Mendicidade; o Asilo de Primeira Infância; o Asilo de Raparigas Abandonadas; o Asilo do Terço. Relativamente à Misericórdia do Porto, D. Joaquina legou cinco obrigações da Junta Geral do Distrito ao Asilo de Cegos de São Manuel (hoje Centro Integrado de Apoio à Deficiência), cem obrigações da mesma Junta para o fundo do Hospital de Santo António e esmolas de um escudo que seriam distribuídas por seis pobres domiciliários protegidos pela Santa Casa. O remanescente da herança caberia a José de Moura Soares Veloso, irmão e testamenteiro de D. Joaquina, passando depois o seu usufruto para o Dr. Óscar Pinto Soares, residente na cidade da Bahia. Após a morte deste usufrutuário, a herança passaria para os seus irmãos ou descendentes, caso os tivesse. Contudo, se esta situação não se verificasse, a Misericórdia do Porto receberia então a herança. Tal, porém, não veio a verificar-se como se pode ler no Relatório de Atividades da Santa Casa da Misericórdia do Porto de 1942: "Não subsistindo, portanto, a possibilidade de o legado reverter a favor desta Instituição, dê-se por cancelado o registo deste legado condicional."

As obrigações para o fundo do Hospital também se destinariam à realização de missas nos aniversários de falecimento da filha da benfeitora, que recebeu o nome da mãe, ocorrido a 03 de junho de 1913, e da própria benfeitora, que veio a suceder a 07 de abril de 1916.

O retrato de D. Joaquina de Moura Veloso Guimarães, presentemente exposto na Sala dos Benfeitores, é uma pintura da autoria de Alfredo Nunes dos Santos. Esta obra foi encomendada a este pintor pela Santa Casa em 1918, o qual cursou Desenho Histórico na Academia Portuense de Belas-Artes onde se veio a distinguir, designadamente com o 1.º prémio de Desenho em 1888. Anos mais tarde, em 1893, o pintor participou na Exposição de Arte que decorreu na cidade do Porto.

Além do retrato a óleo da benfeitora, na coleção de pintura da Misericórdia do Porto constam outros retratos executados pelo pintor como o de D. Laura da Conceição Teixeira de Oliveira, esposa do benfeitor Joaquim José Teixeira de Oliveira, o de António Joaquim Cascão ou o de José Correia Pinto Leão de Carvalho.


Joaquina de Moura Veloso Guimarães

Alfredo Nunes dos Santos

Óleo sobre tela